Abime
Inovação

Professores da rede pública são reconhecidos por projetos transformadores

via Revista Educação

Professor Henrique Macedo da EMEF Estação Jaraguá e professora indígena Retsitsiwi Renhinõiwe do EMEG-Butantã ficaram entre os dez finalistas do 3º Prêmio Territórios, do Instituto Tomie Ohtake

O 3º Prêmio Territórios, voltado a escolas e professores da rede pública de São Paulo, aconteceu em 8 de junho, e reconheceu atividades pedagógicas inspiradoras. Dentro os dez premiados, dois se destacam por valorizar o conhecimento e a resistência indígena. O evento é idealizado pelo Instituto Tomie Ohtake em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo.

Segundo a própria organização do Prêmio, o objetivo é mapear e reconhecer iniciativas da rede municipal de ensino que fortaleçam os vínculos entre as escolas e os territórios da cidade, a partir da visão de uma educação voltada à formação integral dos estudantes.

Respeito à ancestralidade

O projeto Território Jaraguá, do professor Henrique Macedo, da EMEF Estação Jaraguá, tem como objetivo reconhecer as histórias e identidade do bairro por meio da fotografia e foi um dos finalistas. Entre as experiências, os jovens visitaram a Terra Indígena do Jaraguá, onde vivem os Guarani Mbya e acabaram tendo uma compreensão dos costumes ancestrais e da luta territorial.

Grafismo e culturas indígenas: arte, manifestação cultural e tradição é o nome do projeto da professora da etnia Guajajara, Retsitsiwi Renhinõiwe. Retsitsiwi desenvolve em seus alunos do CEU EMEG-Butantã, uma compreensão dos povos indígenas foro do estereótipo, respeitando suas crenças e simbologias. Até a disciplina de matemática se integrou às atividades, por exemplo, com as formas geométricas dos grafismos.

A lista das escolas premiadas é a seguinte: Slam Altino: ninguém cala o nosso grito! (EMEF Altino Arantes), Música de todos os povos (EMEI João Mendonça Falcão), Coletivo Feminista Estudantil (EMEF Sebastião Francisco, o Negro), Projeto Caminhos do Concreto (EMEF Júlio de Oliveira), Sementes dos Sonhos (CEU EMEF – Paulo Gonçalo dos Santos), Grafismo e culturas indígenas: arte, manifestação cultural e tradição (CEU EMEF – Butantã), Conhecendo e Sendo em São Paulo (EMEI Gabriel Prestes), Todos os territórios são nossos: a criança como protagonista na escola e na cidade. (EMEI Ricardo Gonçalves) e A quadra da escola é de quem quiser! (EMEI Afonso Sardinha.

Fonte: Revista Educação | http://www.revistaeducacao.com.br

Postado por: ABIME | www.abime.com.br

Related posts

Professor do Quênia vence Nobel da Educação 2019

Carolina Sab

Festival Pint of Science

Carolina Sab

Disciplina ‘Felicidade’ será lecionada em cursos de graduação da UFSJ em Divinópolis

Carolina Sab

Deixe um comentário