25 de setembro de 2020
Abime
Saber Pedagógico

Investimento na primeira infância traz retorno imensurável, defende Nobel da Economia

James J. Heckman esclarece a importância de uma educação infantil de alta qualidade para a melhoria da sociedade

via Revista Educação

O investimento na primeira infância tem impacto positivo crucial na sociedade e na melhoria de vida dos favorecidos. Essa é a defesa do Nobel da Economia de 2000 e professor de economia da Universidade de Chicago, James J. Heckman.

Acima de tudo, nessa fase da vida, do zero aos cinco anos, o cérebro está maleável ao desenvolvimento de habilidades cognitivas e socioemocionais. Com isso, o economista afirma que há um alto retorno financeiro para cada valor investido nas crianças, além do fato de os alunos desenvolverem habilidades como autocontrole e terem mais chances de conseguirem se colocar no mercado de trabalho.

Contudo, Heckman pesquisou os dados do experimento Perry Preschool Project, realizado nos Estados Unidos, em 1962, e que dividiu 123 crianças em dois grupos: um com acesso à educação de alta qualidade e outro com pouco recurso educacional. O objetivo era descobrir se uma boa educação infantil influencia a vida pessoal e profissional dos alunos.

Impacto na infância

Recentemente, o ganhador do Nobel divulgou nova pesquisa com base nos estudos do Perry e, em entrevista à BBC News Brasil, relatou que o retorno para cada dólar investido na educação infantil acontece, principalmente, por conta da redução de crimes.

“Nós olhamos não para o QI, mas para as habilidades sociais e emocionais que os participantes demonstraram em etapas seguintes da vida, e vimos que o programa era, na verdade, muito mais bem-sucedido do que as pessoas achavam. Constatamos que os participantes tinham mais probabilidade de estarem empregados e tinham muito menos chance de ter cometido crimes.”

Ler para crianças tem um grande impacto no desenvolvimento delas, ainda mais se a atitude vier da família, defendeu o economista na entrevista.

Em resumo, vale destacar que o pesquisador critica as aulas expositivas e defende as metodologias ativas de ensino, que colocam o aluno como protagonista do aprendizado.

Fonte: Revista Educação | http://www.revistaeducacao.com.br

Postado por: ABIME | www.abime.com.br

 

Related posts

Educação é a bala de prata para o desenvolvimento, diz professor do MIT

Carolina Sab

“Leituras elásticas” são novo conceito para formar leitores

Carolina Sab

Olimpíada do Conhecimento premia 45 estudantes do Rio

Carolina Sab

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.