18 de janeiro de 2020
Abime
Sala de Aula

Professor e aluno: entende a importância dessa relação

professor-e-aluno-entende-a-importancia-dessa-relacao

Uma relação extremamente importante para qualquer estudante, independentemente da sua idade ou do seu grau de formação, é aquela que se estabelece com o educador. Quando os professores e os alunos mantêm um bom relacionamento em sala de aula, o aprendizado se torna mais eficiente e passa a existir um maior engajamento de ambas as partes.

Durante o momento de aprendizagem, todas as partes envolvidas trocam experiências, informações e conhecimentos. Sendo assim, a dinâmica flui melhor quando se mantém uma relação positiva, o que também contribui para se manter a motivação em sala.

Como é a convivência entre professor e aluno em sala de aula?

Essa é uma pergunta essencial que educadores de todos os níveis de aprendizado devem se fazer. Afinal, ter uma boa convivência com os alunos, em vez de alimentar relações conflituosas e de tensão, é uma ótima forma de garantir um ambiente saudável, muito mais propício ao aprendizado.

Salas de aula com brigas constantes, alunos desafiando a autoridade do professor a todo momento e intimidação definitivamente não favorecem a convivência adequada entre professores e alunos. Entretanto, muitas vezes essa tensão é intensificada pelo fato de que os estudantes estão crescendo em um mundo globalizado, com grande acesso às informações pela internet. Com isso, comumente os alunos assumem uma posição crítica, com opiniões pré-estabelecidas e dispostos a se impor em uma argumentação.

Como estabelecer uma relação de confiança?

Para contornar esses desafios de convivência, é preciso estabelecer uma relação de confiança entre alunos e professores. Quando existe esse sentimento em sala de aula, os alunos têm mais disposição para aprender e os professores se sentem mais motivados para aprimorar seu processo didático.

Comece pela transparência ao estabelecer critérios avaliativos. Assim, seus alunos saberão exatamente o que esperar em relação às notas, aos esforços de estudo e ao desempenho geral. Além disso, procure criar um ambiente em que seja possível questionar temas e aprender em conjunto, sem repreender perguntas e curiosidades, por mais básicas que sejam. Os alunos devem se sentir confortáveis para expressar suas dúvidas livremente de maneira que o seu desenvolvimento seja garantido.

Uma boa alternativa é pensar em atividades interdisciplinares e contextualizadas para os alunos. Isso porque o conteúdo passa a fazer muito mais sentido para o estudante quando é entendido de forma contextualizada, o que contribui com a motivação em sala.

E o que fazer com conflitos de personalidade?

Uma sala de aula sempre reúne vários tipos de personalidade, incluindo aí até mesmo a do professor. Alguns são mais tímidos, outros mais extrovertidos. Há aqueles que gostam de demonstrar conhecimento, os que buscam afirmação, bem como aqueles que são extremamente inseguros ou possuem dificuldades específicas. Sendo assim, como lidar com essa diversidade, uma vez que os conflitos são naturais da vivência em sociedade?

Nesse contexto, é importante que o professor aja como um verdadeiro gestor de conflitos, a fim de estabelecer, da melhor forma possível, um equilíbrio entre todas essas personalidades. No caso, repreender atitudes desrespeitosas, garantir voz aos alunos mais tímidos e também estimular o convívio saudável entre eles passam a figurar entre as tarefas do educador.

Essa ações são imprescindíveis para o crescimento pessoal de cada um, pois dessa maneira, eles poderão aprender como conviver com as opiniões e os pensamentos diferentes dos seus. Todo aprendizado que começa em sala deve ser uma ponte para o conhecimento, assim como para a sua aplicação na vida de cada aluno.

Pertencimento

Outra importante função do professor consiste em fomentar, dentro da sala de aula, o espírito de grupo e de pertencimento dos alunos. Esse sentimento deve estar presente para estimular o engajamento dos estudantes nos estudos e também na vida social escolar como um todo. Isso pode ser feito por meio de atividades em grupo, discussões em sala e constante estímulo à cooperação.

Diálogo

Independentemente dos tipos de personalidade dos alunos, é imprescindível que a relação seja permeada por muito diálogo. Assim, cada tarefa deve vir acompanhada de explicações sobre sua importância e pertinência, fazendo com que o estudante compreenda seu propósito. Se surgirem desentendimentos, tem-se uma brecha para, mais uma vez, esclarecer finalidades e papéis. É preciso ter sempre em mente que o diálogo é a melhor reposta para os problemas em sala.

Assim como é fundamental o bom relacionamento entre os alunos e o corpo docente, a relação entre os familiares e a escola também é responsável pelo melhor aproveitamento do ensino. Isso porque o processo de aprendizagem vai muito além da sala de aula e depende não apenas da escola, mas também da família.

Fonte: Par
Postado porABIME

Related posts

Estudante capixaba é aprovada na Universidade de Coimbra, em Portugal, com nota do Enem

Carolina Sab

Conheça cursos que incentivam educadores a inovar na escola

Carolina Sab

Séries investigativas de TV inspiram alunos a relacionar biologia, física e química

Carolina Sab

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.