10 de agosto de 2020
Abime
Notícias

Escolas já se preparam para a volta

Abime-escolas-ja-se-preparam-para-a-volta
Instituições repensam formato para o possível retorno das aulas presenciais a partir de setembro

 

As escolas estão repensando o formato para o possível retorno das aulas marcado para o dia 8 de setembro. A volta só se concretizará de fato se as infecções e as internações por causa da Covid-19 estiverem sob controle. Vale destacar que na última sexta-feira Campinas retrocedeu, voltando à fase vermelha para o plano de reabertura.
Mas os colégios particulares já estão fazendo adaptações sanitárias, físicas e estruturais no espaço. E alguns já apostam que o ensino híbrido deve entrar de vez na grade curricular.
Já a rede municipal ainda não tem as diretrizes definidas e conta com um comitê, composto por 30 profissionais da Educação, que está elaborando os protocolos para as ações de retomada das aulas. Ainda não existe uma data definida para que o Comitê apresente a proposta que será implantada pelas escolas municipais. A rede municipal de ensino de Campinas conta com 70 mil alunos.
A gestora educacional da Escola Brasinha e Colégio Lyon, Thiara Pédico Saragiotto, conta que já estão bem adiantadas as medidas sanitárias e todos os protocolos determinados para essa volta presencial dos alunos. “Nossos bebedouros, por exemplo, passaram a funcionar somente com torneiras superiores, acionadas com sensor de presença. Já adquirimos também diversos termômetros que não necessitam do contato direto na pele para aferir a temperatura de todos na entrada e durante o período. Temos ainda os totens com álcool em gel com acionamento por pedal nas entradas e espalhados pelo colégio, além de tapetes sanitizantes. Dentre outras medidas importantes, estamos capacitando os funcionários para que eles estejam bem preparados para esse retorno”, conta Thiara.
A gestora educacional detalha que quando os alunos chegarem na escola terão a temperatura aferida na entrada, higienização das mãos e das bolsas com álcool e álcool em gel 70% e limpeza dos sapatos no tapete sanitizante.
“Estamos fazendo uma pesquisa com os pais para ouvir deles sobre o retorno físico das crianças, quais são seus medos, aflições”, destaca Thiara. “E já estamos preparando nossa equipe para receber nossos alunos de volta. Queremos que eles se sintam acolhidos, seguros dentro do ambiente escolar. Mas algo que acreditamos que entrará na grade é a educação híbrida”, completa a gestora educacional.

Cápsula do tempo

O Colégio Renovatus também está se preparando para o retorno, mas a gestora Alessandra Cardelli também aposta que o ensino híbrido (remoto e presencial) deve perdurar por um bom tempo, pelo menos até o momento em que a pandemia estiver totalmente controlada.
“Além das medidas como aferição de temperatura, totens de álcool em gel, uso de máscaras, tapetes sanitizantes e treinamento de todos os funcionários, também estamos estruturando novo layout das salas de aulas e organizando salas de aula ao ar livre. Nosso refeitório também passará por adequações”, conta Alessandra.
A gestora destaca que a escola está preparando diversos materiais para conscientizar e deixar as famílias mais seguras nessa volta. “Também estamos preocupados com o acolhimento emocional das crianças. Preparamos um projeto lindo chamado cápsula do tempo para que as crianças escrevam cartas para que elas possam ler no futuro. Queremos que elas contém o que aprenderam, as dificuldades, as alegrias, medos no momento de pandemia. Vamos enterrar isso na escola e tirar daqui um tempo para entendermos tudo que estamos passando.
Também fizemos uma pesquisa on-line com os pais e 70% deles não querem retornar as aulas presenciais em setembro. As aulas on-line tem funcionado muito bem e os familiares ainda estão com medo”, destaca Alessandra.
Anderson Gama, educador e diretor pedagógico do Colégio Crescer, conta que a escola também está se preparando com todas as medidas determinadas pelo governo para a volta às aulas. A instituição já tem os termômetros com infravermelho e mais de 150 protetores faciais para os colaboradores. Nas dependências, foram instalados os totens de álcool em gel em pontos estratégicos e nas salas de aula. As entradas dos alunos em portões diferentes e em horários alternativos e a reorganização das salas, respeitando o distanciamento de 1,50 metro entre as carteiras, também estão em planejamento.
Anderson, no entando, faz ressalvas. “Essa reorganização na sala de aula é possível até a fase dois do plano, período que prevê 50% dos alunos na escola. Quando chegar aos 100%, muitas instituições não terão espaço físico para manter o distanciamento exigido das carteiras”, diz.
Antes de organizar a escala dos alunos, o colégio planeja fazer uma pesquisa com as famílias para saber quem prefere permanecer em casa, com o formato das aulas on-line. “O importante é que seja feito um trabalho organizado e que a família tenha uma comunicação eficiente com a escola, passando os questionamentos de forma harmoniosa para que tudo flua da melhor forma possível. É um momento de compreensão e resiliência”, finaliza Anderson Gama.

Comitê planeja retomada na rede municipal

A Prefeitura Municipal criou um comitê, composto por 30 profissionais da Educação, com o objetivo de elaborar os protocolos e as ações de retomada das aulas presenciais para os cerca de 70 mil alunos da rede municipal de ensino de Campinas. Mas ainda não foi definida a data de entrega do planejamento. A equipe segue fazendo reuniões para estruturar os protocolos.
Desde o dia 23 de março, as 203 unidades escolares do município estão fechadas por conta da pandemia. A missão deste comitê é criar protocolos que levem alunos, professores, equipe gestora e profissionais terceirizados a retomarem suas atividades com segurança. Na pauta do comitê estão temas como transporte escolar, alimentação, higienização das escolas, distribuição de equipamentos individuais de proteção, entre outros.
Os 21,4 mil alunos do Ensino Fundamental (1º ao 9º ano) e Educação de Jovens e Adultos (EJA) receberam chips para que possam conectar o celular ou tablet e acessar o conteúdo pedagógico disponibilizado na plataforma virtual de aprendizagem — Google sala de aula. Já os alunos da Educação Infantil estão tendo desde a segunda quinzena de maio acesso a vídeos didáticos que são transmitidos por meio de uma parceria com a TV Câmara. As transmissões são feitas nos períodos da manhã, tarde e noite.
Fonte: Correio
Postado por Abime

Related posts

Bolsonaro diz que Enem pode ser adiado ‘um pouco’, mas que deve ocorrer ainda em 2020

julio_bessa

Provas do Enem 2020 serão em janeiro e fevereiro de 2021

julio_bessa

Câmara prevê começar a votar nesta segunda-feira renovação do fundo da educação básica

julio_bessa

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.