22 de janeiro de 2022
Abime
Notícias

Prefeitura de SP chega a 200 mil tablets distribuídos aos alunos, mas está longe da meta inicial

tablets

A Prefeitura de São Paulo entregou nesta quarta-feira 626 tablets aos alunos da rede municipal de ensino, totalizando 200 mil aparelhos distribuídos.

O número ainda não chegou à metade dos 506 mil que foram comprados pela administração municipal. O início do ensino remoto começou em março do ano passado.

A entrega dos tablets foi feita pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB), juntamente com o secretário municipal de Educação, Fernando Padula, na Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental), Roquette Pinto, no Jardim Nice (zona leste de SP).

A compra dos tablets foi anunciada em agosto do ano passado, com previsão de entrega em diferentes fases. Mas houve atraso na distribuição, que começaria em fevereiro, depois passou para março, porém só começou em maio. Agora, segundo Nunes, a entrega deverá ser finalizada em agosto, totalizando 465,5 mil destinados aos alunos do ensino fundamental e outros 40 mil para alunos da educação infantil.

A prefeitura também irá distribuir 48,5 mil notebooks, com previsão de entrega até setembro, para professores da rede municipal de ensino.

“Queremos dar uma condição de acesso à internet para todos os alunos da nossa rede. A prefeitura adquiriu 506 mil tablets, hoje chegamos a marca da entrega de 200 mil tablets e ainda entregamos 48,5 mil notebooks para os professores, com acesso à internet e material pedagógico. Até agosto concluímos a entrega de todos os 506 mil tablets e depois dos 48,5 mil notebooks em São Paulo”, disse o prefeito.

Segundo dados da prefeitura, investimento para a compra dos tablets foi de R$ 600 milhões. Os aparelhos acompanham um microchip com pacote de dados para que os estudantes possam acessar todo o material gratuitamente.

Já para os notebooks, o investimento foi de R$ 156,7 milhões, sendo que os aparelhos serão de propriedade da escola municipal, mas poderão ser usados pelos professores para a realização de planejamento, organização didática, participação em atividades de formação e atividades com os estudantes.

Para a entrega dos equipamentos, segundo a prefeitura, foram priorizados os 10% de alunos que menos tiveram acesso online em 2020 e, nesta segunda etapa, a entrega passou a ser feita aos 20% dos alunos que tiveram baixa conectividade com a plataforma de ensino online e aos estudantes que tiveram pior desempenho na avaliação diagnóstica realizada no final de 2020.

A entrega dos tablets, que é descentralizada e realizada pelas escolas com escalonamento, é feita para o aluno, porém o responsável legal precisa estar presente.

Fonte: FOLHA

Postado por Abime

Related posts

Justiça Federal nega pedido de novo adiamento do Enem 2020

julio_bessa

Secretaria orienta consumidores a não cancelar serviços com instituições educacionais

julio_bessa

Secretária de Educação Básica pede demissão do MEC

julio_bessa

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.