19 de setembro de 2021
Abime
Notícias Políticas Públicas

Governo de Minas divulga protocolo de volta às aulas na rede estadual

protocolo-de-volta-as-aulas-mg

A volta às aulas presenciais na rede estadual é uma realidade próxima e, para isso, o governo de Minas organiza o retorno seguindo protocolos de segurança contra a COVID-19. A Secretaria de Estado de Educação (SEE-MG) divulgou nesta sexta-feira (2/7) o protocolo de volta às aulas na rede estadual, com as regras que escolas mineiras devem seguir para evitar contaminação de alunos, professores e toda a equipe.

Professores e toda a rede de apoio das escolas começam a retornar presencialmente para começar o planejamento na segunda-feira (5/7). Esse trabalho vai até sexta-feira (9/7).

Eles devem preparar uma priorização para que os estudantes dos anos iniciais sejam recebidos a partir da semana seguinte (12/7).

A secretária de Estado de Educação, Julia Sant´Anna, ressaltou nessa quinta-feira (1/7) que o retorno só é possível com um checklist de que todos o protocolo de volta às aulas de segurança contra a COVID-19 serão cumpridos.

“É uma retomada extremamente segura, não há organização de qualquer escola da rede estadual se não cumprir o checklist, já preparado por cada escola. Temos 3.167 escolas com esta checagem já realizada, ou seja, 90% da nossa rede”, destacou.

A secretaria de Educação divulgou o protocolo de volta às aulas que as escolas devem seguir para receber os alunos, pensado pelo Grupo de Trabalho (GT) instituído pelo Comitê Extraordinário COVID-19.

Uso de máscara, distanciamento de 1,5 metro, lavagem de mãos e limpeza das instalações são obrigatórias para todas as instituições de ensino.

Confira alguns protocolo de volta às aulas na rede estadual definidos pela SEE-MG:

Protocolo de volta às aulas na rede estadual

Em todos os espaços da instituição de ensino

  • Demarcar, com sinalização, a circulação interna, com fluxo determinado para a entrada e saída dos alunos respeitando o distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas. Recomenda-se o escalonamento de horário de entrada e saída de turmas, evitando aglomerações que podem propiciar a transmissão da COVID-19;
  • Deverá ser disponibilizado obrigatoriamente álcool em gel a 70% para higienização das mãos, na entrada da instituição, corredores, salas de aula, sanitários, bibliotecas, refeitórios, cantinas e secretaria. Deve-se atentar para altura dos dispensadores contemplando indivíduos das diversas faixa etárias da Instituição do Ensino, bem como portadores de deficiência (PCDs);
  • Evitar utilizar ar-condicionado, se possível, garantindo o ambiente com ventilação adequada, sempre que possível, deixando portas e janelas abertas. Caso o ar-condicionado seja a única opção de ventilação, instalar e manter filtros e dutos limpos, além de realizar a manutenção e limpeza semanal do sistema por meio de Plano de Manutenção, Operação e Controle (PMOC ).

Salas de aula

  • Realizar limpeza e desinfecção de todas as salas após o término de cada turno de aula;
  • Os alunos deverão ter lugares fixos para assistir às aulas, e as carteiras a serem utilizadas pelos alunos ou locais de acomodação deverão ter o distanciamento de pelo menos 1,5 metro entre si. Recomenda-se a criação de um “mapa de lugares” ou “mapa de carteiras”;
  • Preferencialmente, os alunos não devem mudar de sala de aula durante o dia. É o professor que deverá se deslocar até a sala. A exceção do uso de salas de aula como química e biologia, ou em que a turma é dividida devido a diferentes disciplinas eletivas. Nas mudanças necessárias, os alunos devem lavar as mãos e as salas devem ser higienizadas antes de cada troca de turma.

Sanitários

  • Os sanitários devem ser providos de condições para higiene das mãos com lavatórios/pias com água disponível, dispensador de sabonete líquido, porta papel-toalha (não permitir o uso de toalhas de tecido), lixeira provida de saco plástico descartável com tampa acionada por pedal;
  • Deve-se controlar o fluxo de acesso aos sanitários, de modo a respeitar a capacidade de ocupação do sanitário e o distanciamento de 1,5m entre as pessoas, evitando aglomerações;
  • Disponibilização de cartazes com linguagem visual e não verbal com orientações sobre higienização das mãos e uso de máscaras.

Refeitório e cantina

  • Ampliar o período de funcionamento desses serviços e distribuir os usuários em horários escalonados de refeição distintos para evitar aglomerações;
  • Limitar o tempo de permanência no local, sendo exclusivo para alimentação, proibir o uso de celulares no refeitório;
  • Os espaços deverão ser utilizados com no máximo 1/3 da capacidade por vez, e deve-se utilizar escalonamento por horário do ambiente.

Fonte: Estado de Minas

Postado por Abime

Related posts

Fatecs e Etecs eliminam prova de vestibular e passam a considerar histórico escolar dos candidatos por causa da pandemia em SP

julio_bessa

Redação do Enem: os 6 erros mais comuns na estrutura do texto, segundo quem corrige simulados

julio_bessa

Ministro da Educação atribui ‘dificuldade extra’ no orçamento a decisão do Congresso; cortes são ‘opção política’, dizem deputados

julio_bessa

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.